Receita de hambúrguer funcional

receita hamburguer funcional Receita de hambúrguer funcionalPara tornar o hambúrguer um prato muito saudável, basta acrescentar os ingredientes certos. Olha só como é fácil:

Ingredientes

  • 450 g de carne moída ou de frango
  • ½ cebola roxa picadinha
  • ½ xícara quinoa em flocos
  • 200 g de purê de abóbora
  • ½ abobrinha ralada
  • 1 colher de chá de sal
  • 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
  • Papel manteiga

Modo de preparo

Lave a abóbora e a abobrinha. Rale a abobrinha e faça um purê com a abóbora. Pique a cebola. Em uma tigela grande misture a carne, a quinoa, a cebola picada, o purê de abóbora e a abobrinha picada, o sal e o azeite de oliva. A massa deve ficar úmida. Modele oito hambúrgueres e deixe descansar sobre um papel manteiga em uma forma. Leve ao forno para assar até estarem corados e cozidos (aproximadamente 20 minutos a 180º C). Os hambúrgueres podem ser congelados crus (deixe na geladeira por 4 horas antes de subir ao freezer, para que eles fiquem mais durinhos para congelar.

Receita funcional de cuscuz de quinoa com castanhas

receita cuscuz light viena Receita funcional de cuscuz de quinoa com castanhas

A quinoa é conhecida por seu alto teor de fibras, que contribuem para baixar o colesterol e prevenir o câncer, além de ser rica em proteína, ferro, magnésio e ômega 3, regular o funcionamento intestinal e controlar a fome. Outros benefícios da receita ficam por conta do cálcio da ricota, o licopeno do tomate e os antioxidantes da castanha.

Veja como preparar o prato:
Ingredientes

250 g de ricota fresca
1 xícara (chá) de tomate com casca e sem semente cortado em cubos pequenos
¼ de xícara (chá) de cebola roxa cortada em cubos pequenos
½ xícara (chá) de quinoa mista em grão
1 xícara (chá) de água
1 colher (sopa) de linhaça
¼ de xícara (chá) de castanhas picadas
1 colher (sopa) de hortelã picada
½ colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de raspas de limão siciliano
1 colher (sopa) de azeite

Modo de preparo

Cozinhe a quinoa em água fervente por 25 minutos, com a panela parcialmente tampada, até a água secar. Reserve e espere esfriar.

Em uma vasilha, misture todos os ingredientes, incluindo a quinoa fria. Tempera com sal.

Coloque a massa em pequenas forminhas untadas com azeite para modelá-las. Utilize um plástico para ajudar.

Desenforme o cuscuz (não é preciso assar) e decore com hortelã e pedaços de nozes.

BRIGADEIRO FUNCIONAL

brigadeiro BRIGADEIRO FUNCIONAL

Para muitas pessoas, o mais difícil é evitar as recaídas, especialmente quando vem a vontade de comer um doce ou guloseima. A dica é substituir os ingredientes que engordam por outros mais saudáveis. A culinarista funcional Lidiane Barbosa e a nutricionista funcional Fernanda Scheer ensinam a fazer um brigadeiro com batata doce. A receita não leva açúcar e nem leite condensado.

Ingredientes

1 xícara de leite de amêndoas
4 colheres de chocolate 70% cacau (sem açúcar, sem glúten e sem lactose) ralado
1 colher (de sopa) de farinha de arroz
1 xícara de batata doce cozida e amassada

Modo de preparo

Em uma panela, antes de levar ao fogo, misture o leite, a farinha de arroz e o chocolate. Quando estiver homogêneo (sem bolinhas de farinha), leve ao fogo e acrescente a batata doce.

Mexa bem até desgrudar do fundo da panela. Leve à geladeira por 1 hora.

Depois, retire e, com as mãos úmidas de água, faça bolinhas e passe em raspas de chocolate ou amaranto em grãos.

Rende 15 brigadeiros.

 

Dieta do chá verde: perca 5 quilos em 15 dias

como queimar gorduras com cha verde 5 Dieta do chá verde: perca 5 quilos em 15 dias
Ele desintoxica, desincha, acelera o metabolismo e queima gordura. O chá mais falado do momento tem ainda outros poderes a favor da saúde e contra o excesso de peso. Descubra, então, como colocá-lo no seu dia a dia. Melhor: combine-o com um cardápio leve para detonar as gordurinhas muito mais facilmente!

O sabor é amargo, mas logo você vai descobrir que o sacrifício de beber algumas xícaras de chá verde todos os dias vale a pena. Só para começar a lista de benefícios: ajuda a secar gordurinhas. É sério! Essa bebida milenar (e tão na moda atualmente) tem o poder de emagrecer. E existe comprovação científica. Uma pesquisa publicada no American Journal of Clinical Nutrition, conceituada revista da Sociedade Americana de Nutrição, acompanhou dois grupos de gordinhos. Os dois seguiram um cardápio de baixa caloria. Mas só o primeiro bebeu de seis a oito xícaras de chá verde por dia. No final do estudo, esses pacientes queimaram 4% a mais de gordura que o grupo que passou longe do chá. A explicação é que a bebida tem ação lipolítica. Não só isso: “O chá verde acelera o metabolismo, desintoxica e facilita a digestão”, diz a nutricionista Vanderlí Marchiori, especializada em fitoterapia e colaboradora da Associação Paulista de Nutrição. Mas não vale dar um ou dois golinhos – você tem de se comprometer a, diariamente, tomar pelo menos cinco xícaras.

Outros poderes da erva
Emagrecer é apenas uma das vantagens do chá verde. Estudos feitos em importantes centros de pesquisa dos Estados Unidos e da Europa mostraram que também faz bem para a pele. Extraído da planta Camellia sinensis, tem altas concentrações de antioxidantes, considerados até mais potentes que os carotenos e as vitaminas C e E, substâncias que atuam contra as rugas precoces. Outra pesquisa, dessa vez realizada na Universidade de Tohoku, no Japão, e publicada recentemente no The Journal of the American Medical Association (Jama), mostrou que a erva é eficaz na prevenção de doenças do coração. Seus compostos reforçam as artérias, diminuem as taxas de colesterol ruim e bloqueiam o acúmulo de gordura na parede dos vasos sanguíneos. O consumo habitual também previne inflamações na gengiva e até tumores malignos de boca e mama. “Substâncias como as catequinas e os bioflavonóides são capazes de impedir alterações no DNA das células, o primeiro passo para o desenvolvimento de um câncer”, diz Vanderlí. Um teste de laboratório apontou mais um efeito positivo do chá verde: melhora a memória. Mas os estudos para comprovar mais esse efeito estão só no começo.

O jeito certo de fazer
É muito fácil preparar o chá verde, mas há alguns segredinhos importantes para você preservar os princípios ativos da erva. Vamos lá: coloque a água para ferver e assim que surgirem as primeiras bolhas de ar (antes de começar para valer o processo de ebulição), apague o fogo. Acrescente a erva (o ideal são 2 colheres de sopa para 1 litro de água, mas comece com apenas 1 colher, pelo menos até você se acostumar com o sabor do chá) e abafe por 2 ou 3 minutos. Depois é só coar e tomar.

Gostinho bom 

Para deixar o chá verde mais gostoso, coloque essas dicas em prática:
1. Na hora de preparar o chá verde, não exagere na dose da erva. Use 1 col. (sopa) rasa para 1 litro de água – fica menos amargo. Só depois que você se acostumar ao sabor, acrescente mais uma colher para a mesma quantidade de água.
2. Preparar o chá verde com uma outra erva (fresca ou em saquinho) também melhora o sabor. Pode ser erva-cidreira, hortelã, erva-doce. Ferver a água com um pedaço de casca de abacaxi ou de manga é outra tática para deixar o chá mais gostosinho. Ou, ainda, pingue algumas gotas de limão no chá pronto.
3. Beber o chá em jejum é muito sacrifício? Troque de horário. Deixe para consumi-lo meia hora antes das refeições e duas horas depois. Ou seja, evite tomar o chá de estômago vazio ou muito cheio, diminuindo o risco de sentir enjoo ou azia.
4. Você está tomando algum medicamento? Não beba o chá sem consultar seu médico.

Cardápio da dieta do chá verde

Combinar o chá de Camellia sinensis a uma dieta equilibrada e de baixa caloria (esta tem 1300) é do que você precisa para emagrecer 5 quilos em 15 dias!
(Fonte: http://mdemulher.abril.com.br)

Como cultivar uma horta em casa

horta Como cultivar uma horta em casa

Você já pensou em ter uma horta na sua casa? Além de ser uma opção muito saudável, é possível mantê-la facilmente em qualquer lugar, inclusive em espaços pequenos. Confira:

Qual é o espaço necessário para ter uma horta?

A designer de interiores formada em paisagismo Joice de Souza Carvalho aponta que morar em apartamento não é um empecilho para quem deseja ter sua própria horta. “Mesmo com as limitações de espaço, podemos cultivar hortaliças de pequeno porte e ervas em jardineiras de 40 cm nas janelas ou vasos de 15 cm na sacada. Em uma área de 25 cm de profundidade com sol direto ou indireto já é possível plantar”, afirma.

A horta também pode ficar dentro de casa, na cozinha, por exemplo. “Uma boa ideia, se tiver pouco espaço, é fazer uma horta vertical: use escadas de demolição, cavalete ou recicle um palete de madeira”, ensina o decorador e personal organizer Guuh Green.

O engenheiro agrônomo e diretor da Ecotelhado João Manuel Feijó também explica que, por ser uma horta doméstica, ela deve ficar em um local com bastante insolação, que pode ser tanto em uma parede voltada para o norte como também a laje da casa ou edifício. “Dependendo do espaço pode-se cultivar hortaliças como alface, couve e também temperos e chás”, diz o especialista.

Vantagens de plantar em casa

Mas, afinal, por que é melhor cultivar alimentos dentro de casa? “As principais vantagens da horta doméstica são o consumo de alimentos saudáveis isentos de agrotóxicos, economia de dinheiro e melhoria da saúde, pois o contato com a terra e as plantas serve como terapia”, aponta o paisagista técnico Alexandre Zebral.

Dentre outras vantagens, está a própria decoração do ambiente, que se torna um local mais aconchegante e confortável na presença de plantas. “O prazer de cultivar, ver nascer , crescer e colher vegetais frescos é uma sensação prazerosa”, conta o diretor da Ecotelhado.

Cuidados básicos para ter uma horta doméstica

O tratamento com a horta é essencial: adubar quando for necessário e observar os tipos de cuidados de cada espécie, como por exemplo, o quanto de sol e água que elas necessitam.
Revolver o solo com sacho para melhorar a infiltração de água;
Retirada de plantas menos desenvolvidas ou doentes para aumentar o espaço entre as restantes;
Cobrir os pés das plantas com terra, para que as raízes fiquem enterradas;
Controle do mato: eliminar plantas concorrentes (ervas-daninhas) para evitar competição de água, luz e nutrientes;
Cobrir o solo com folhas e capins secos para proteger o solo contra chuva (erosão) e sol forte, manter a umidade do solo e fornecer nutrientes.
Colocar estacas ou tutores em algumas hortaliças que necessitem de suporte;
Adubação complementar foliar, respeitando o estágio de desenvolvimento (semanal, quinzenal, mensal);
Irrigar no início da manhã, a quantidade de água depende de vários fatores como espécie, solo, clima e etc.
Algumas culturas, como a alface, são mais sensíveis à falta d’água, outras, como a couve-manteiga, nem tanto. Portanto, é muito importane conhecer o que você está plantando.

Materiais necessários

Se você quer começar sua pequena horta, veja a lista de materiais que você vai precisar:

Se for uma horta extensa: enxada, enxadão, restelo, pá reta, pá curva, sacho, colher de transplante, regador ou mangueira de esguicho, carrinho de mão, pulverizador, plantador, estacas de madeira e tesoura de poda.
Se for uma horta pequena: vasos, jardineira ou outro suporte para plantar, substrato, adubo, sementes, apazinha, firmino (para eliminar pragas), luva para trabalhar, regador.

Adubos mais indicados

Alexandre Zebral explica que para adubar a horta, precisamos de fontes de macronutrientes (NPK – N estercos de animais, P farinha de osso, K cinzas vegetais) e micronutrientes (biofertilizantes, sais).

Guuh Green ensina uma receita básica de adubo orgânico, sem utilizar produtos químicos: “Uma boa opção é usar sobras de verduras, frutas e legumes, cascas de ovos, pó de café e saquinhos de chá para fazer um adubo natural para a horta caseira. Basta afofar a terra com um garfo ou uma pá de jardinagem e juntar todas as sobras. Com isso, ela ficará mais fértil”.

Controle de pragas

Existem produtos de origem vegetal e até biotecnologia com uso de bactérias que atacam determinadas pragas. No entanto, o surgimento de pragas significa que as plantas estão fracas e mal nutridas, ou seja, se forem bem cuidadas é mais difícil que elas apareçam.

Para dar um fim às pragas, existem várias receitas ecologicamente corretas. Uma delas consiste em fazer uma mistura de água com alguns vegetais, bater no liquidificador, coar e pulverizar sobre as plantas. Os ingredientes são: folhas de tomateiro, dentes de alho, pimentas dedo de moça maduras e folhas de hortelã. O produto pode ser pulverizado sobre as plantas da horta, como alface, cebolinha, salsa, coentro, couve, etc. Isso afastará os insetos que se alimentam desses vegetais, como besouros, gafanhotos, grilos e pragas, principalmente os pulgões”, revela Guuh Green.

Joice ainda complementa que a principal vantagem em utilizar métodos naturais é a obtenção de produtos livres de contaminações, sem perigo de intoxicar quem está cultivando a horta. Ela também afirma que todo cuidado é pouco, pois algumas pragas podem até transmitir doenças, já que facilitam a entrada de vírus, bactérias e fungo.

(Fonte: http://revistacasalinda.uol.com.br)